11/05/2012

Criança foi encontrada em um saco com sinais de abuso


A criança desapareceu desde a tarde de segunda-feira, 7
Criança desaparecida em Neópolis é encontrada morta (Foto: Arquivo Infonet)
Moradores do povoado Alto do Santo Antônio, em Neópolis, se mobilizaram a procura de uma criança desaparecida desde segunda-feira, 7. Um casal de idoso procurou a Delegacia de Polícia Civil de Néopolis na última quinta-feira, 10, e informou do desaparecimento de Josivânia Alves dos Santos.
Após algumas informações a polícia encontrou o corpo da criança em um matagal de um sítio localizado no mesmo povoado. “O casal de idoso nos informou que a mãe da criança foi impedida pelo companheiro de acionar a polícia, pois podia ser uma travessura de criança, e  a qualquer momento ela podia aparecer”, explica o delegado Leogenes Correia.
A polícia encontrou o corpo de Josivânia na tarde de quinta-feira em um matagal. A garota foi encontrada dentro de um saco com características de tortura e abuso sexual.
O  proprietário do sítio informou à polícia que o padastro de Josivânia, Wanderson Silva dos Santos,  24 anos, passou a tarde da  segunda-feira no sítio,onde o corpo foi encontrado,  bebendo com o amigo Genivaldo da Conceição Santos, 26 anos. O delegado ainda informou que durante as buscas, o padastro da criança levava as pessoas para locais opostos ao crime.
De acordo com o delegado Leogenes Correia, o relato do dono do sítio levou aos dois suspeitos. “Fomos até a casa da vítima e encontramos o padastro da criança com o amigo assistindo DVD, enquanto os moradores ainda procuravam o corpo. E ao questionar onde eles estavam no dia do crime, eles mentiram, o que comprovou as suspeitas”, conta.
Os dois acusados confessaram o crime que começou a ser tramado no sábado, 6, pelo padastro da criança. Ele pagou o valor de R$ 1000 para o amigo executar Josivânia, que ainda foi abusada. “ Eles confessaram o crime. E o padastro alega que foi motivado pela desobediência da criança em atos dentro de casa. A polícia irá investigar os reais motivos, pois consideramos fútil o motivo apresentado”, disse.
Prisão
A Delegacia de Polícia Civil de Neópolis informou que já foi decretada a  prisão preventiva dos acusados, que se encontram em outra delegacia vizinha por questão de segurança. O delegado ainda afirmou que se for comprovado o abuso sexual, os dois acusados responderão por estupro de vulnerável com resultado morte e responderão por uma pena que vai de 12 a 30 anos, e poderão ir a juri popular.
“ A polícia faz um apelo a população para quando houver qualquer suspeita de violência contra crianças que informe ao Conselho Tutelar e a polícia. Só tivemos conhecimento desta crueldade através de pessoas da comunidade”, alerta o delegado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário